quinta-feira, 10 de maio de 2012

MENINAS MALVADAS


MENINAS MALVADAS (Mean girls, 2004, Paramount Pictures, 98min) Direção: Mark Waters. Roteiro: Tina Fey, romance "Queen bees and wannabees", de Rosalind Wiseman. Fotografia: Daryn Okada. Montagem: Wendy Greene Bricmont. Música: Rolfe Kent. Figurino: Mary Jane Fort. Direção de arte/cenários: Cary White/Patricia Cuccia. Produção executiva: Jill Messick. Produção: Lorne Michaels, Tony Shimkin. Elenco: Lindsay Lohan, Rachel McAdams, Amanda Seyfreid, Lacey Chabert, Ana Gasteyer, Tina Fey, Amy Poehler. Estreia: 30/4/04

 Comédias românticas passadas em escolas secundárias já são quase um gênero próprio do cinema americano. O que faz desse “Meninas malvadas” um produto diferente do habitual, no entanto, é o ponto de vista: ao invés de um bando de marmanjos buscando a perda da virgindade, as protagonistas dessa divertida sátira são do sexo feminino, o que dá um enfoque no mínimo menos grosseiro e escatológico a esse inteligente produto feito para adolescentes mas que diverte a todos.
     
Inteligente, sim. Com um roteiro esperto e irônico escrito pela mordaz Tina Fey (redatora do “Saturday Night Live”, criadora da série "30 rock" e ela própria atriz do filme, como uma professora de matemática), “Meninas malvadas” é baseado no livro “Queen bees and wannabes”, escrito por Rosalind Wiseman e inédito no Brasil e tem um senso tão divertido de auto-ironia que é difícil não se entregar e, deixando o preconceito de lado, dar boas risadas durante uma hora e meia.

       

A protagonista do filme é a doce, meiga e inteligente Cady Hore (Lindsay Lohan ainda em sua fase de atriz promissora), que pela primeira vez em seus 16 anos de idade, passa a freqüentar uma escola, sendo que seus pais, zoólogos, viviam na África e educaram-na em casa. Tão logo chega em seu novo universo, Cady descobre que a savana africana parece um paraíso, perto das inúmeras regras impostas por uma sociedade quase fútil, dominada pelas garotas mais belas do local. Essas garotas, chamadas de “As poderosas”, são lideradas pela quase déspota Regina George (a ótima Rachel McAdams) e têm dietas a seguir, dias certos para usar determinadas roupas e mais importante do que tudo, são as mais populares da escola. Detestadas por aqueles que não se enquadram em seus dogmas, As Poderosas logo conquistam Cady para seu lado. Cady, no entanto, está apaixonada por Aron Samuels (Tim Meadows), ex-namorado de Regina. Quando é traída pela mais poderosa das Poderosas, Cady resolve vingar-se. Para isso, conta com o apoio de sua primeira amiga na escola, a desajeitada Janis Ian e de, um amigo gay, obviamente renegado pelas patricinhas do secundário.
     
Tirando o tom absolutamente sarcástico, capaz de piadas politicamente incorretas e de personagens caricatos mas nem por isso menos interessantes, “Meninas malvadas” não difere muito dos milhares de filmes que volta e meia são atrações da “Sessão da Tarde”. Seu encanto está exatamente no fato de rir de si mesmo, sem a afetação e a auto-complacência que infestam produções do tipo. Contando com a simpatia de Lindsay Lohan e com o talento então emergente de Rachel McAdams, “Meninas malvadas” segura bem um programa menos cabeça.      

Nenhum comentário: