terça-feira, 31 de dezembro de 2013

TE PEGO LÁ FORA

TE PEGO LÁ FORA (Three o'clock high, 1987, Universal Pictures, 97min) Direção: Phil Joanou. Roteiro: Richard Christian Matheson, Thomas Szollosi. Fotografia: Barry Sonnenfeld. Montagem: Joe Ann Fogle. Música: Tangerine Dream. Figurino: Jane Ruhm. Direção de arte/cenários: William F. Matthews/Tom C. Bugenhaugen. Produção executiva: Alan Greisman, Aaron Spelling. Produção: David E. Vogel. Elenco: Casey Siemaszko, Annie Ryan, Richard Tyson, Stacey Glick, Jeffrey Tambor, Philip Baker Hall, Mitch Pileggi. Estreia: 09/10/87

Antes de assumir as rédeas do cultuado "U2: Rattle and Hum" - tido como um dos melhores documentários musicais realizados - o californiano Phil Joanou assinou um dos inúmeros cult movies adolescentes que rechearam as telas nos anos 80. Co-produzido por Steven Spielberg (que, no entanto, não está creditado), "Te pego lá fora" é uma rápida, divertida e inteligente homenagem ao clássico "Matar ou morrer", situando o conflito central - o desespero de um homem frente a um desafio inevitável - em uma escola de ensino fundamental e substituindo um xerife pacífico e recém-casado por um aluno introvertido que se vê diante de uma catástrofe iminente: uma briga no final do dia de aula.

Jerry Mitchell (Casey Siemaszko) é um adolescente como outro qualquer: não é o mais popular, nem o mais bonito nem tampouco genial. Seu único diferencial em relação a todos os outros alunos de sua escola é o fato de gerenciar a pequena loja de material escolar do local. Um dos redatores do jornal estudantil, a ele cabe a missão de fazer uma entrevista com um novo aluno, Buddy Revell (Richard Tyson), cuja fama não é nada amistosa: segundo as lendas que o precedem, ele já quebrou professores, colegas e quem quer que lhe desafiasse de alguma forma. Mesmo nada animado com a incumbência, Mitchell parte em busca de sua realização, mas acaba despertando a fúria do beligerante colega ao simplesmente tocar-lhe no braço. Com a promessa de uma briga para o final do dia, na frente de todos os alunos, Mitchell precisa então arrumar um jeito de fugir da luta ou encontrar uma maneira de evitá-la.


Assim como Gary Cooper no western de Fred Zinnemann, o Jerry Mitchell de "Te pego lá fora" conquista a empatia da plateia por ter uma alma pacífica - o que muitas vezes é confundido com covardia. Em sua agonia crescente, ele vê todos os seus esforços em fugir de uma surra anunciada caírem por terra sistematicamente. Nem a ajuda do melhor amigo e da provável namorada Franny (Anne Ryan) parece diminuir sua tensão - que aumenta gradativamente conforme outros problemas surgem em seu caminho, como um flagrante do segurança da escola (que o pega portando uma faca) e o roubo de todo o dinheiro disponível no caixa da loja que ele gerencia.

Dirigindo com um equilíbrio impressionante entre a tensão e a leveza - apropriado ao gênero - Joanou criou uma obra que dialoga com os clássicos oitentistas de John Hughes sem nunca perder a própria identidade. Engraçado sem ser histérico, "Te pego lá fora" também se privilegia do fato de não parecer datado ou exageradamente ingênuo. É uma sessão da tarde divertida e agradável, capaz de entreter sem machucar a inteligência do espectador.

Nenhum comentário: