quinta-feira, 28 de outubro de 2010

DORMINDO COM O INIMIGO

DORMINDO COM O INIMIGO (Sleeping with the enemy, 1991, 20th Century Fox, 99min) Direção: Joseph Ruben. Roteiro: Ronald Bass, romance de Nancy Price. Fotografia: John W. Lindley. Montagem: George Bowers. Música: Jerry Goldsmith. Figurino: Richard Hornung. Direção de arte/cenários: Doug Kraner/Lee Poll. Casting: Karen Rea. Produção executiva: Jeffrey Chernov. Produção: Leonard Goldberg. Elenco: Julia Roberts, Patrick Bergin, Kevin Anderson, Elizabeth Lawrence. Estreia: 08/02/91

Não há como duvidar do poder de uma estrela. Só mesmo o carisma imenso e o belo sorriso de Julia Roberts para explicar o grande êxito de bilheteria de "Dormindo com o inimigo", um suspense mediano e esquemático que estreou nos EUA ainda aproveitando o sucesso inicial de Julia, após o estrondo de "Uma linda mulher". Baseado em um romance de Nancy Price, o filme dirigido por um desconhecido Joseph Reuben nada acrescenta ao gênero nem tampouco à carreira de sua atriz principal, iniciando uma fase de escolhas equivocadas que a levaria a um desagradável limbo comercial pouquíssimo tempo depois. Ainda assim, apesar de sua falta de novidades, Dormindo com o inimigo rendeu mais de 100 milhões de dólares nas bilheterias americanas, comprovando a teoria de que um nome poderoso estampando os cartazes faz mais por um filme - ao menos em termos financeiros - do que criatividade e inteligência.

As multidões que lotaram as salas de cinema em busca do largo sorriso de Roberts, porém, tomaram um susto em "Dormindo com o inimigo", ela nada tem de leve ou solar como a prostituta Vivian Ward. Laura Byrnes, a protagonista do filme, é uma mulher triste, tensa e traumatizada que foge do amor como o diabo da cruz, graças a um passado de violência e abuso por conta do ex-marido. Com o nome de Sara Waters, em outra cidade e outro estado, ela busca apagar de sua vida todo o sofrimento pelo qual passou durante os mais de três anos em que esteve casada com Martin Byrnes (Patrick Bergin, fazendo o possível para dar veracidade a uma personagem unidimensional). Aparentemente um marido exemplar e carinhoso, ele a espancava sem piedade pelos motivos mais banais - desde toalhas dispostas assimetricamente no banheiro até crises infundadas de ciúme. Depois de planejar passo a passo uma fuga literalmente cinematográfica, Laura assume uma nova personalidade, forjando a própria morte. Iniciando um romance discreto com o professor de teatro Ben (Kevin Anderson), ela nem imagina que sua farsa foi descoberta e que sua liberdade está com os dias contados.



Para os espectadores menos exigentes, "Dormindo com o inimigo" funciona até que razoavelmente bem. Há alguns sustos, um clima interessante e um vilão ameaçador (ainda que extremamente mal escrito). Mas não é difícil perceber o quão preguiçoso e cheio de furos é o roteiro de Ronald Bass (surpreendentemente o oscarizado autor de "Rain Man") que simplifica a trama do livro a ponto de transformar a heroína em uma mulher capaz de atos tão burros quanto inexplicáveis como jogar a aliança de casamento no vaso sanitário da casa do marido. Ao invés de aproveitar a ocasião para discutir temas controversos como a violência contra a mulher, o texto se resume a estabelecer uma história maniqueísta que não se aprofunda em nenhuma das questões levantadas. Mas será que os fãs de Julia Roberts que correram aos cinemas procuravam isso, afinal?

"Dormindo com o inimigo" é um suspense derivativo, sem maiores rasgos de inventividade - culpa do roteiro comum e da direção burocrática, que o iguala a dezenas de outros filmes que abarrotam as videolocadoras e fazem a festa dos programadores dos Supercine da vida. Não fosse o nome de Julia Roberts nos créditos de abertura provavelmente teria sido esquecido já em seu lançamento. E se provavelmente é o trabalho mais famoso de Patrick Bergin, é um dos menos marcantes da atriz.

3 comentários:

renatocinema disse...

Achei bem meia boca esse filme. Concordo quando você diz que se não tivesse Julia Robert no elenco ninguém nem lembraria mais da produção. Abs

Alice disse...

Clenio, esse filme é um dos que menos gosto...Acho que Julia Roberts foi infeliz ao aceitar tal personagem, mas dinheiro é sempre necessário, né?

Beijão,

Alice

Rodolfo disse...

Link do filme, para quem quiser fazer o download:

http://uploadhero.co/dl/MgtpGM7j