segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

NOTAS SOBRE UM ESCÂNDALO


NOTAS SOBRE UM ESCÂNDALO (Notes on a scandal, 2006, Fox Searchlight Pictures, 92min) Direção: Richard Eyre. Roteiro: Patrick Marber, romance de Zoe Heller. Fotografia: Chris Menges. Montagem: John Bloom, Antonia Van Drimmelen. Música: Philip Glass. Figurino: Tim Hatley. Direção de arte/cenários: Tim Hatley/Caroline Smith. Produção executiva: Redmond Morris. Produção: Robert Fox, Scott Rudin. Elenco: Judi Dench, Cate Blanchett, Bill Nighy, Andrew Simpson. Estreia: 25/12/06

4 indicações ao Oscar: Atriz (Judi Dench), Atriz Coadjuvante (Cate Blanchett), Roteiro Adaptado, Trilha Sonora Original

Melhorar um original literário em sua versão para o cinema não é tarefa das mais fáceis. Além dos inúmeros problemas que o roteirista tem que enfrentar na transposição de uma linguagem mais subjetiva para o audiovisual existe ainda um fator crucial que é outra pedra no caminho: encontrar as encarnações em carne e osso para personagens criadas por outra pessoa, cuja imaginação frequentemente é bastante diferente. Às vezes essa situação é intransponível ou é transposta de maneira equivocada - como a escalação de Anthony Hokpkins e Nicole Kidman para a adaptação de "A marca humana", de Philip Roth para as telas, sob o nome de "Revelações". Em outros casos, porém, o casamento entre personagens e atores é absolutamente perfeito. Quando encontra um bom roteiro e uma direção firme, então, é só correr pro abraço. É o que acontece com "Notas sobre um escândalo".

Adaptado de um romance da norte-americana Zoe Heller - cujo título original é "What was she thinking: notes on a scandal" - o filme de Richard Eyre é um primor de adaptação, direção, concisão e relevância dramática, sublinhada pelas atuações impecáveis de Judi Dench e Cate Blanchett, ambas premiadas com indicações ao Oscar por seus desempenhos. Dench - que já havia sido dirigida por Eyre em "Iris", que também lhe valeu uma indicação ao prêmio da Academia - tem aqui talvez um dos melhores trabalhos de sua carreira, uma interpretação assustadora e crível que consegue a façanha de, apesar da crueza de seus atos, despertar uma certa compaixão da audiência. Se por um lado sua atuação engole tudo à sua volta, por outro consegue despertar o melhor de sua colega de cena: linda e etérea, Cate Blanchett duela de igual para igual com a veterana dama do teatro inglês, proporcionando ao espectador uma briga das mais sensacionais do cinema na primeira década do século.

A personagem defendida por Judi Dench é Barbara Covett, uma experiente professora de História em uma escola pública londrina. Rígida e temida pelos alunos e até pelos colegas, ela também é uma mulher extremamente solitária e obsessiva. No início de um novo ano letivo, suas atenções se voltam para uma nova professora de artes, a bela e jovem Sheba Hart (Cate Blanchett), por quem sente um interesse quase doentio. Aproveitando-se da ingenuidade de Sheba - casada com um homem mais velho e mãe de uma adolescente rebelde e um menino com Síndrome de Down - ela se aproxima cada vez mais dela, a ponto de sentir-se quase dona. Quando Sheba se envolve sexualmente com o adolescente Steven Connolly (Andrew Simpson) - seu aluno - Barbara encontra o caminho ideal para recrusceder seu domínio, até que as coisas começam a sair do controle e um escândalo põe a prova seu relacionamento.

Lidando com temas delicados - sexo entre uma adulta e um aluno adolescente, lesbianismo, obsessão - "Notas sobre um escândalo" consegue fugir magistralmente das armadilhas da polêmica fácil e do erotismo voyeur. Não interesssa ao roteiro de Patrick Marber - que também assinou o excelente "Closer", baseado em sua própria peça de teatro - mostrar cenas de sexo ou criar um suspense de fazer o espectador roer as unhas. Nas mãos de Richard Eyre, a história de Zoe Heller adquire uma elegância e uma sobriedade que a valorizam a cada minuto. O que conquista o público é a maneira gradual com que a trama vai se desenvolvendo até seu final realista e amargo - tudo comentado pela trilha sonora discreta e eficiente de Philip Glass.

Um brilhante estudo sobre a solidão, a obsessão e a forma com que as pessoas podem usar a fragilidade alheia a seu favor, "Notas sobre um escândalo" é uma pequena obra-prima que melhora o livro que lhe originou e brinda o público com duas atuações gigantescas. Imperdível!

2 comentários:

Heron Xavier disse...

Parece ser um excelente filme!

Anônimo disse...

Esse filme que é um escândalo! Realmente imperdível !