sábado, 23 de fevereiro de 2013

ZODÍACO

ZODÍACO (Zodiac, 2007, Paramount Pictures/Warner Bros, 157min) Direção: David Fincher. Roteiro: James Vanderbilt, livro de Robert Graysmith. Fotografia: Harris Savides. Montagem: Angus Wall. Música: David Shire. Figurino: Casey Storm. Direção de arte/cenários: Donald Graham Burt/Victor Zolfo. Produção executiva: Louis Phillips. Produção: Ceán Chaffin, Bradley J. Fischer, Mike Medavoy, Arnold W. Messer, James Vanderbilt. Elenco: Jake Gyllenhaal, Robert Downey Jr., Mark Ruffalo, Chloe Sevigny, Brian Cox, Dermot Mulroney, John Carrol Lynch, Anthony Edwards, James Les Gros, Elias Koteas. Estreia: 02/3/07

Só mesmo um cineasta do porte e do talento de David Fincher para conseguir a façanha de prender a atenção do público em um filme de duas horas e meia de duração cujo final - ou falta de - é do conhecimento quase geral. Baseado na história real do assassino que atormentou a baía de San Francisco entre 1969 e o início dos anos 70, o diretor de "Seven, os sete crimes capitais" - outra obra-prima do gênero - criou um espetáculo cinematográfico do mais alto gabarito, que funciona emt todos os níveis nos quais se arrisca. "Zodíaco" é tanto um policial cerebral com a cara dos filmes setentistas quanto um drama a respeito de uma quase obsessão. Não quer assustar, quer apenas contar uma boa história. E o faz com maestria.

Baseado no livro escrito por Robert Graysmith, cartunista do San Francisco Chronicle na época em que se passa a história - e interpretado no filme por Jake Gyllenhaal - "Zodíaco" começa no dia 4 de julho de 1969, com o violento assassinato de um casal, filmado com a perfeição que se espera do cineasta. A partir daí - e de uma carta escrita pelo assassino para os principais jornais da área do crime, pedindo atenção aos símbolos constantes na correspondência - toda a trama se desenrola em duas frentes. Enquanto Graysmith, um rapaz apaixonado por enigmas tenta decifrar as mensagens do assassino (autointitulado Zodíaco) e conta com uma espécie de apoio de seu colega de jornal Paul Avery (Robert Downey Jr. em atuação espetacular que lhe pôs novamente nos trilhos do sucesso crítico e comercial), os policiais encarregados do caso buscam pistas e soluções com os recursos que possuem - vale lembrar que à época não havia facilidades como internet. Liderados pelo detetive Dave Toschi (Mark Ruffallo), eles lutam também contra a burocracia que impede o fluxo de informações entre delegacias diferentes.


Contando de forma sóbria e com ritmo próprio uma história assustadora por ser real e empolgante por ser morbidamente excitante, David Fincher exercita seu estilo moderno sem deixar que a técnica sobrepuje a qualidade dramática do roteiro espetacular de James Vanderbilt. Ao tomar licenças poéticas - como criar uma amizade que nunca existiu entre Graysmith e Paul Avery, que em nada se parecia com Downey Jr. - o cineasta opta por trilhar um caminho que, ao invés de incomodar os puristas, apenas encanta os fãs de bom cinema. Utilizando de maneira exemplar o desenho de som e a edição, Fincher foge o máximo possível da estética claustrofóbica e úmida de "Seven", construindo uma narrativa em forma de quebra-cabeças, com peças que se unem conforme o tempo vai passando e todas as informações vão se completando - muito mais diante dos olhos do público do que para seus investigadores, deixando ao espectador tirar suas próprias conclusões.

E não bastasse o domínio perfeito de sua técnica, David Fincher ainda mantém, em "Zodíaco" uma das maiores qualidades de sua filmografia: a excepcional direção de atores. Tendo plena consciência de que não adiantaria reconstruir com detalhes quase obsessivos a redação do San Francisco Chronicle ou os cenários dos violentos crimes cometidos pelo serial killer se não houvesse um aparato artístico forte por trás do projeto, o diretor escalou um elenco fabuloso liderado por três atores em perfeita sintonia. Jake Gyllenhaal, em ótimo momento na carreira cria um Robert Graysmith impecável em sua quase obsessão pelo criminoso. Mark Ruffalo brilha como Dave Toschi - uma figura exuberante e extremamente simpática - e Robert Downey Jr. rouba todas as cenas em que aparece com seu Paul Avery. Não bastasse tudo isso, o elenco coadjuvante conta com nomes conhecidos do público, como Dermot Mulroney, Chloe Sevigny, Anthony Edwards e John Carrol Lynch, além de um Brian Cox impagável em uma sequência de arrepiar.

Um dos melhores filmes de sua temporada, "Zodíaco" foi injustamente esquecido pelas cerimônias de premiação. É inteligente, excitante e dirigido com perfeição. Destinado a clássico.

Nenhum comentário: