segunda-feira, 17 de março de 2014

NOVIDADES NO AMOR





NOVIDADES NO AMOR (The rebound, 2009, The Film Company, 95min) Direção e roteiro: Bart Freundlich. Fotografia: Jonathan Freeman. Montagem: Christopher Tellefsen. Música: Clint Mansell. Figurino: Melissa Toth. Direção de arte/cenários: Ford Wheller/Carolyn Cartwright. Produção executiva: Michael Goguen, Neil Sacker. Produção: Bart Freundlich, Mark Gill, Robert Katz, Tim Perell, Mario Zvan. Elenco: Catherine Zeta-Jones, Justin Bartha, Art Garfunkel, Joanna Gleeson, Sam Robards. Estreia: 16/9/09 (México)


Tirando o fato de que parte de uma premissa um tanto absurda - Catherine Zeta-Jones como uma mulher traída pelo marido - a comédia romântica "Novidades no amor" não deixa de ser um passatempo competente para quem gosta do gênero. Quem não tem paciência para mais uma história de amor com pitadas de humor, porém, provavelmente irá se aborrecer nos primeiros trinta minutos. Mesmo simpático e conduzido com mão leve pelo diretor e roteirista Bart Freundlich (que por trás das câmeras também atende por Sr. Julianne Moore), o filme não acrescenta nada ao gênero, apresentando sem vergonha todos os clichês possíveis - e muitos deles inclusive utilizados também em "Terapia do amor", com Meryl Streep e Uma Thurman, com quem compartilha a narração de um romance entre uma mulher mais velha com um jovem judeu que não consegue sair da barra da saia da mãe.

"Novidades no amor" já começa com o desmoronamento da vida perfeita de Sandy (Zeta-Jones, bela e luminosa), que descobre a infidelidade do marido com quem mantinha um casamento de comercial de margarina. Decepcionada e extremamente magoada, ela resolve tentar um recomeço em Nova York (onde mais?), levando a tiracolo os dois filhos pequenos. Logo que arruma um emprego (sem maiores dificuldades, o que já compromete um pouco a verossimilhança da trama), ela passa a contar com a ajuda de uma surpreendente babá: o jovem Aram (Justin Bartha, o noivo de "Se beber, não case"), que trabalha no café localizado debaixo do apartamento onde passa a morar. As crianças adoram o rapaz, que sofre com a pressão dos pais (a ótima Joanna Gleason e o músico Art Garfunkel) para encontrar um emprego decente e que lhe deixe com um melhor status. Machucado pelo fim de seu casamento - a noiva queria apenas um green card - Aram dedica quase todo seu tempo livre cuidando dos filhos de Sandy, até que o inevitável (e previsível) acontece: os dois se apaixonam perdidamente.


É difícil não simpatizar com "Novidades no amor". Mesmo que cada cena dê a impressão de já ter sido vista antes - apenas com outros atores - o roteiro leve e bem-humorado de Freundlich consegue anular o fato de que, a bem da verdade, nele não existe nada de novo. Porém, é inegável que a química entre Justin Bartha e os atores mirins é verdadeira e que o romance entre os protagonistas, apesar da previsibilidade, convence, graças ao esforço dos atores. Bartha cria um Aram apaixonante e Zeta-Jones mostra, mais uma vez, que por trás de uma beleza estonteante, existe uma atriz capaz de transitar entre o drama e a comédia com a mesma desenvoltura. Mesmo quando Sandy começa a questionar o futuro de seu novo relacionamento - e o filme ameaça assumir uma seriedade da qual parecia fugir - a ex-mulher de Michael Douglas sai-se muito bem, dando a medida exata de cada sentimento.

Sério candidato a frequentador assíduo de futuras sessões da tarde, "Novidades no amor" é um passatempo agradável, que não ofende a inteligência nem tampouco busca ser reconhecido como um grande filme. É só mais uma história de amor tendo Nova York como cenário. Para muitos espectadores é o que basta.

Nenhum comentário: