sábado, 19 de novembro de 2016

OS FANTASMAS CONTRA-ATACAM

OS FANTASMAS CONTRA-ATACAM (Scrooged, 1988, Paramount Pictures, 101min) Direção: Richard Donner. Roteiro: Mitch Glazer, Michael O'Donoghue, inspirado em romance de Charles Dickens. Fotografia: Michael Chapman. Montagem: Fredric Steinkamp, William Steinkamp. Música: Danny Elfman. Figurino: Wayne Finkelman. Direção de arte/cenários: J. Michael Riva/Linda DeScenna. Produção executiva: Steve Roth. Produção: Richard Donner, Art Linson. Elenco: Bill Murray, Karen Allen, John Forsythe, John Glover, Bobcat Goldthwait, Carol Kane, Robert Mitchum. Estreia: 17/11/88

Indicado ao Oscar de Maquiagem

Publicada pela primeira vez em 1843, "Um conto de Natal", do inglês Charles Dickens, é uma das histórias mais conhecidas do mundo, e, consequentemente, teve inúmeras versões para o cinema e a televisão. Nenhuma, no entanto, atingiu o tom sardônico e mordaz de "Os fantasmas contra-atacam", uma inclemente adaptação dirigida por Richard Donner em 1988 que substituía a emoção do conto original pelo humor cruel e politicamente incorreto que coube como uma luva em seu protagonista, Bill Murray. Afastado das telas desde o fiasco de "O fio da navalha" (84) - um filme no qual investiu dinheiro e dedicação e que naufragou nas bilheterias - e seriamente tentado a abandonar a carreira, Murray resolveu voltar aos holofotes com um papel sob medida, e testando seu poder de fogo como protagonista absoluto. Em seu último sucesso, "Os caça-fantasmas" (84), ele havia dividido as atenções com um grupo de talentos que incluía Harold Ramis, Dan Aykroyd e Sigourney Weaver, mas como Frank Cross, a versão moderna e cômica do famigerado Scrooge, ele não apenas enfeitaria os créditos em primeiro lugar: ele carregaria o filme nas costas. E foi exatamente o que aconteceu.

Com liberdade para improvisar sobre o roteiro adaptado com extrema acidez por Mitch Glazer e Michael O'Donoghue, Murray entregou uma performance vitoriosa, repleta de todas as nuances que sempre o destacaram entre seus humoristas contemporâneos. Com poder para fazer alterações no script, foi ele quem solicitou aos autores a expansão da trama romântica em detrimento das cenas familiares e, mesmo que seu relacionamento com Richard Donner tenha sido um tanto quanto problemático durante as filmagens, é inegável que a personalidade do ator é que dá o gostinho especial que o filme tem em seu resultado final. O desafio de transformar um emocionante e amado clássico natalino em uma comédia desvairada acabou dando certo: "Os fantasmas contra-atacam" (um título no mínimo inadequado) tornou-se um das maiores bilheterias de 1988 e chegou a concorrer ao Oscar de maquiagem - e boa parte do mérito se deve ao casamento mais que perfeito entre ator e personagem.


Em uma jogada de mestre, o roteiro de "Os fantasmas contra-atacam" moderniza a trama de Charles Dickens e a situa no competitivo mundo dos bastidores da televisão. É lá que vive Frank Cross (Bill Murray), presidente de uma emissora que, na véspera de Natal, planeja transmitir uma adaptação da obra do escritor britânico. Egocêntrico, frio e incapaz de demonstrar qualquer tipo de sentimento mais nobre, Cross é capaz de demitir funcionários mesmo nas festas de final de ano, proibir a secretária de acompanhar o filho pequeno ao médico e dar apenas uma toalha corporativa ao único irmão - isso sem falar em maus-tratos aos animais e a absoluta falta de talento em lidar com as pessoas. Maltratando a quem passa por seu caminho, ele tem uma experiência redentora quando é visitado por três fantasmas, que irão lhe mostrar três Natais distintos que definiram sua vida. O primeiro (David Johansen) surge na forma de um taxista desbocado que o leva a revisitar sua infância infeliz. A segunda (Carol Kane), agressiva e violenta, lhe acompanha pelos preparativos para o Natal presente. E é somente quando ele percebe que, a menos que se transforme em uma boa pessoa, irá morrer solitário e triste, é que Cross resolve dar uma chance a um amor antigo, Claire (Karen Allen).

Visualmente criativo, com diálogos divertidos e um elenco que inclui veteranos em participações especiais (Roobert Mitchum, Lee Majors, Miles Davis, John Houseman), "Os fantasmas contra-atacam" é um antídoto contra a sacarose típica das produções natalinas que invadem os cinemas e a televisão no final de cada ano. Sem medo de ofender suscetibilidades, o roteiro, a direção e Bill Murray exploram cada ângulo da história de Dickens sob a perspectiva do humor mais radical possível para um filme de grande estúdio (no caso a Paramount Pictures) e o resultado é um festival de gargalhadas que jamais fere a obra original e a atualiza de forma inteligente e coerente com seu espírito. Um acerto dos grandes na carreira de Donner e Murray.

Nenhum comentário: