terça-feira, 29 de dezembro de 2015

DOU-LHES UM ANO

DOU-LHES UM ANO (I give it a year, 2013, StudioCanal/Anton Capital Entertainment, 97min) Direção e roteiro: Dan Mazer. Fotografia: Ben Davis. Montagem: Tony Craunston. Música: Ilan Eshkeri. Figurino: Charlotte Walter. Direção de arte/cenários: Simon Elliott/Rebecca Alleway. Produção executiva: Liza Chasin, Olivier Courson, Ron Halpern, Debra Hayward. Produção: Tim Bevan, Eric Fellner, Kris Thykier. Elenco: Rose Byrne, Rafe Spall, Anna Faris, Simon Baker, Minnie Driver, Jason Flemyng, Stephen Merchant, Jane Asher, Claire Higgins, Olivia Colman. Estreia: 15/01/13

Em termos de inteligência, personagens carismáticos e senso de humor, as comédias românticas inglesas dão um banho nas suas colegas hollywoodianas. Não à toa, filmes como "Quatro casamentos e um funeral", "Um lugar chamado Notting Hill", "O diário de Bridget Jones" e "Simplesmente amor" conquistaram os corações do público e as boas graças da crítica, com uma mistura sempre certeira entre o sarcasmo, o romantismo e uma escalação perfeita de elenco. Uma pena, porém, que "Dou-lhes um ano" - produzido pela mesma Working Title dos títulos citados acima - não tenha tido a mesma sorte nas bilheterias. Talvez por não ter astros de primeira grandeza enfeitando seu cartaz, o filme, escrito e dirigido por Dan Mazer - parceiro de Sacha Baron-Cohen na série de TV "Ali G" -  passou em brancas nuvens pelos cinemas, uma injustiça que felizmente pode ser corrigida pelo mercado de dvds e blu-rays pelos fãs do gênero, que irão encontrar nele tudo que sempre procuram, com o acréscimo de uma ousadia a mais: o enfoque da trama central.

Tudo começa como manda o figurino: em poucos meses, o escritor Josh (Rafe Spall) e a publicitária Nat (Rose Byrne) se apaixonam, vivem um conto de fadas e decidem se casar mesmo sabendo que podem estar sendo bastante precipitados. Já na cerimônia de casamento, uma prima um tantinho invejosa e com o relacionamento já desgastado, Namoi (Minnie Driver, ótima), dá sua sentença: "Dou-lhe um ano!". Alguns meses mais tarde, sua profecia parece estar se concretizando, já que Josh e Nat se encontram em uma crise que os faz questionar sua pressa em oficializar a relação. Não bastasse a percepção de que são bastante diferentes entre si, ele precisa encarar a volta ao país de uma antiga namorada, Chloe (Anna Faris), e ela sente uma atração irresistível por um novo cliente, o milionário boa-pinta Guy (Simon Baker). Cabe a eles, então, administrar a crise ou admitir o erro e seguir em frente com uma nova vida.


Visto friamente, "Dou-lhes um ano" é uma receita quase pronta: tem o casal central enfrentando dificuldades, rivais interessantes que podem ou não ser o tiro de misericórdia no relacionamento, o amigo inconveniente (aqui interpretado pelo ótimo Stephen Merchant), situações constrangedoras, piadas com alto grau de ironia, coadjuvantes interessantes e uma trilha sonora agradável e adequada. Porém, é impossível não admitir que, apesar de tudo soar clichê, funciona que é uma beleza. Dotado de um senso de ritmo que faz com que sua hora e meia passe voando - em boa parte graças ao timing cômico do elenco - o filme de Mazer é uma surpresa e tanto para quem procura um passatempo descompromissado. Algumas piadas são excelentes - a forma como Nat canta errado várias canções e é corrigida por Josh, por exemplo - e a química entre os atores centrais é formidável. Ator de filmes como "Um dia" - onde vivia o humorista fracassado apaixonado por Anne Hathaway e nem de longe tinha aparência de galã de comédia romântica - e "As aventuras de Pi" - onde era o escritor a quem a história era narrada - o inglês Rafe Spall demonstra que tem todas as possibilidades de tornar-se astro em breve, e Rose Byrne, conhecida como a sofrida mãe dos filmes "Sobrenatural", revela uma face menos sombria e mais leve de seu talento - e, surpresa, é bastante simpática quando não está enfrentando espíritos do mal.

Realmente engraçado quando precisa ser, romântico quando apropriado e repleto de situações impagáveis - Josh tentando impedir os sogros de vê-lo nu nas fotos da lua-de-mel, Guy tentando seduzir Nat com pombos voando sobre eles em uma sala de hotel, uma impagável sessão de mímica com a família - "Dou-lhes um ano" é uma comédia romântica das melhores, capaz de conquistar até o mais renitente dos detratores do gênero. Pode não ter estourado nas bilheterias, mas é infinitamente superior à média, principalmente por algumas ousadias narrativas e pela excepcional escalação de elenco, que foge do convencional e acerta em cheio na verossimilhança e na naturalidade. Vale a pena experimentar.

Nenhum comentário: