quinta-feira, 30 de outubro de 2014

NEGÓCIO ARRISCADO

NEGÓCIO ARRISCADO (Risky business, 1983, Geffen Company, 99min) Direção e roteiro: Paul Brickman. Fotografia: Bruce Surtees, Reynaldo Villalobos. Montagem: Richard Chew. Música: Tangerine Dream. Figurino: Robert de Mora. Direção de arte/cenários: William J. Cassidy/Ralph Hall. Produção: Jon Avnet, Steve Tisch. Elenco: Tom Cruise, Rebecca de Mornay, Joe Pantoliano, Bronson Pichot, Curtis Armstrong, Richard Masur, Nicholas Pryor, Janet Carroll. Estreia: 05/8/83

Antes de tornar-se o mais bem-sucedido astro do cinema mundial dos anos 90, receber três indicações ao Oscar e se casar com duas das mais talentosas e desejadas mulheres do planeta, Tom Cruise também teve que começar a carreira por baixo. Para sua sorte, entretanto, pouca gente lembra de sua participação no vergonhoso "Porky's 3" - que apesar do título nada tinha a ver com seus antecessores, exceto a pouca qualidade - mas sim de sua estreia oficial como protagonista: a comédia adolescente "Negócio arriscado", que, apesar de fazer parte de um filão bastante popular na década de 80, dá um passo à frente em relação a seus congêneres com a adição de um elemento ousado que muito agradou a seu público alvo: cenas tórridas de sexo.

Tórridas em termos, é bom que se diga. Mesmo que em comparação com a filmografia ingênua e romântica de John Hughes os embates entre Cruise e Rebecca de Mornay sejam bastante quentes, não se pode dizer que o filme escrito e dirigido por Paul Brickman seja mais do que uma simples comédia romântica direcionada a jovens em fase de ebulição hormonal. E são eles que provavelmente se divertem mais com a história criada por Brickman, que se utiliza das dúvidas existenciais adolescentes, de sua busca por sexo e de seus problemas de relacionamento com os pais para entreter por pouco mais de hora e meia. Essa despretensão em legar uma obra-prima, assumindo sem medo seu lado comercial e ligeiro é talvez um dos maiores trunfos de "Negócio arriscado" - que ainda assim deixou para a posteridade uma das cenas mais lembradas da carreira de Tom Cruise, quando ele dança e dubla, somente de camisa, cueca e meias, a clássica "Old time rock'n'roll".


Cruise, que tinha 21 anos à época do lançamento do filme, vive Joel Goodsen, um adolescente de Chicago, filho único, que está às vésperas de ir para a universidade, apesar de não ser exatamente um aluno exemplar. Integrante de um grupo chamado "Empresários do futuro", que prepara os alunos para uma promissora carreira profissional, Joel também é um rapaz tímido, sem experiência sexual assim como seus melhores amigos. Em um final de semana, quando seus pais vão viajar, Joel acaba tendo sua vida virada do avesso quando trava conhecimento com a bela Lana (Rebecca de Mornay em papel que teve entre suas candidatas Kim Basinger e Sharon Stone), uma prostituta que chega à sua casa chamada por Miles (Curtis Armstrong), um de seus melhores amigos. Lana não apenas inicia Joel sexualmente como o envolve em uma confusão com seu cafetão, Guido (Joe Pantoliano) - o que acaba obrigando o jovem, depois de uma inesperada reviravolta, a fazer de sua mansão um bordel para arrecadar uma pequena fortuna.

No fundo, "Negócio arriscado" não passa de uma Sessão da Tarde um pouco apimentada, o que não é demérito nenhum. Não é uma comédia do tipo que desperta gargalhadas, mas é leve, simpático e deu o empurrão que a carreira de Cruise precisava no momento - ele chegou a ser indicado ao Golden Globe de melhor ator em comédia ou musical. Assim como vários outros produtos de sua época direcionados ao público jovem, acabou virando cult e peça indispensável das lembranças de toda uma geração. Apesar de tudo, é um filme que mora no coração de muitos fãs de Cruise - e do cinema dos anos 80.

Nenhum comentário: